Fotografías generales del Museo Arqueológico Nacional

Atualizado em 13 de May de 2022

Relatórios sobre os resultados dos diagnósticos de acessibilidade dos museus nos países Ibero-Americanos.

O Programa Ibermuseos, consciente da importância de promover a eliminação de barreiras e a promoção da inclusão plena, concentra parte de seus esforços em colaborar na construção de museus totalmente democráticos que integram a acessibilidade arquitetônica, cognitiva e comunicacional.

Com este fim, desenvolveu sua ferramenta de auto-diagnóstico sobre acessibilidade para museus e vem difundindo sua aplicação. Como resultado, e com o apoio do Observatório Ibero-Americano de Museus, os países da região desenvolveram estudos sobre a avaliação de suas instituições  museológicas (principalmente públicas), nos que são examinados os dez temas que devem ser levados em consideração para garantir o cumprimento das normas e boas práticas que asseguram a “cadeia acessível”, incluindo: construção, localização, exposições, comunicação, segurança, consultoria, treinamento, emprego, avaliação e gestão da instituição.

Além dos resultados propriamente ditos, os documentos fornecem reflexões interessantes e sugestões concretas sobre como melhorar a situação dos museus nas diferentes áreas analisadas. Ao mesmo tempo, os estudos do Brasil, Chile, Colômbia, Espanha e Portugal dão visibilidade a uma seleção de boas práticas acessíveis a pessoas com mobilidade reduzida, cegas ou com baixa visão, pessoas com deficiência intelectual e psicossocial ou pessoas surdas ou com dificuldades auditivas, destacadas pelos museus participantes do diagnóstico ao completar o recurso de auto-diagnóstico do Programa. Como resultado, é obtido um catálogo de ações que pode servir de inspiração para outras instituições museológicas.

Em complementaridade, os relatórios compilam o corpo legislativo sobre acessibilidade nos países que, além de terem ratificado a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (2006) e permeado seus princípios em suas políticas públicas, fizeram progressos na definição de regulamentações através das quais promover sociedades mais inclusivas.

Os 7 relatórios agora apresentados fornecem uma visão geral da situação dos museus sob a administração direta dos órgãos da administração governamental nos governos dos países, incluindo:

Brasil

Chile

Colômbia

Cuba

Equador

Espanha

Portugal

RESULTADOS

Em termos globais, o cumprimento médio das Normas e Boas Práticas de Acessibilidade nos museus cobertos pelos diagnósticos é: 49,39%.

Analisando aspectos específicos, o seguinte é revelado:

Os melhores resultados são obtidos nas seguintes áreas:
– Exposições: 64,59%.
– Localização: 64,05%.
– Avaliação 55,01%.
– Edifício: 50,23%.

Os temas cujos valores mostram um cenário mais desfavorável:
– Emprego: 21,63
– Consultoria: 31.23
– Formação: 35,54
– Comunicação: 37,80

Os resultados obtidos revelam que os aspectos que estão realmente em um estado mais precário são aqueles que não são condicionados pelas modificações arquitetônicas das sedes dos museus ou por altos investimentos econômicos.

Emprego, formação, consultoria, comunicação e gestão estão, em última instancia, relacionados à falta de conscientização nesta área e ao desconhecimento dos fatores determinantes que permitem que os museus sejam mais inclusivos. Através de conscientização e treinamento, poderemos avançar e construir museus que sejam totalmente acessíveis à pluralidade de platéias.

Você está utilizando um navegador desatualizado. Por favor atualize seu navegador para visualizar corretamente este site.