Atualizado em 24 de maio de 2018

Palavras-chave
Notícias
País

Cubacuba-aspect-ratio-276x276

Rede Nacional de Museus e Salas de Arte é criada em Cuba

O Dia Internacional dos Museus foi selecionado este ano para o lançamento da Rede Nacional de Museus e Salas de Arte de Cuba, composta por 25 instituições, cujas coleções apresentam as manifestações das artes plásticas e decorativas, da música e da dança no país.

Essa rede é presidida por Esther Pérez Lorenzo, diretora do Museu Nacional de História Natural, e nela estão entidades como o Museu Tranquilino Sandalio de Noda, de Pinar del Río; Tomás Romay, de Santiago de Cuba; Antonio Núñez Jiménez, do município especial Isla de la Juventud e o Joaquín Fernández de la Vara, de Gibara, Holguín.

A Rede Nacional de Museus e Salas de Artes, assim como a Rede de Museus de História Natural, é criada por resolução aprovada pelo Conselho Nacional do Patrimônio Cultural do Ministério da Cultura, com os seguintes objetivos comuns: Incentivar o intercâmbio profissional entre os diferentes perfis existentes em museus e galerias de arte; Manter um elo estável e permanente entre os membros da rede, que contribua para o fortalecimento institucional e para o melhor desempenho deles no cumprimento de seus propósitos; Compartilhar os fundos e coleções que possuem e dar acesso amplo à população; Garantir a conservação e salvaguarda do patrimônio artístico precioso em museus.

Como parte das comemorações do Dia Internacional dos Museus em Cuba, foi reaberto em 18 de maio o Museu Municipal de Jaruco e, no Museu Nacional de Artes Decorativas, foi apresentado o livro Coleccionismo y museos en Cuba (siglo XVI-primera mitad del XX), da professora María Mercedes García Santana, e foram inauguradas as exposições El eclecticismo e Artes de Francia (1988-2018).

Foto: Museo Tranquilino Sandalio de Noda/Reprodução internet

Você está utilizando um navegador desatualizado. Por favor atualize seu navegador para visualizar corretamente este site.