Atualizado em 12 de setembro de 2019

Palavras-chave
Conselho Ibermuseus
Autor

Gustavo Marcondes

País

Cubacuba-aspect-ratio-276x276

Cuba é o mais novo membro do Programa Ibermuseus

El_Capitolio_Havana_Cuba
Foto: Nigel Pacquette/Wikimedia Commons

A adesão de Cuba ao Programa Ibermuseus foi formalizada pela Vice-ministra do Ministério de Comércio Exterior e Investimento Estrangeiro da República de Cuba, Sra. Ileana Núñez Mordoche, por meio de comunicado à Secretária Geral Ibero-americana, Sra. Rebeca Grynspan.

Com a incorporação de Cuba, Ibermuseus passa a contar com 12 países membros: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, Espanha, México, Peru, Portugal e Uruguai. Cuba é o primeiro país caribenho a se unir ao Conselho, o que possibilita que a atuação do Ibermuseus na promoção de políticas públicas e na promoção da cooperação entre as instituições museológicas ibero-americanas tenham maior alcance, incrementando o intercâmbio de experiências e conhecimentos na região.

O Conselho Nacional do Patrimônio Cultural (CNPC) será a instituição responsável por fazer as contribuições necessárias para garantir a plena participação de Cuba e a realização dos objetivos do Programa, através da Vice-Presidente do Conselho Nacional de Patrimônio Cultural, Sra. Sonia Virgen Pérez Mojena (foto).

O CNPC trabalha para a proteção, resgate, conservação, restauração, exposição, pesquisa e disseminação do patrimônio cultural e natural de Cuba, bem como para a formação de profissionais da área. Sua ação se estende não apenas ao sistema institucional da cultura, mas também ao restante das organizações que possuem patrimônio cultural ou que requerem informações, conselhos e controle em Cuba. É o órgão responsável por especificar e declarar os bens que devem fazer parte do patrimônio cultural da nação. Esse conhecimento e experiência a também estarão ainda mais a serviço dos museus ibero-americanos.

Ao ingressar no Ibermuseus, Cuba passa ter assento e voto nas reuniões do Conselho Intergovernamental, onde é definido anualmente como o Programa investe para promover a valorização do patrimônio museológico ibero-americano, a qualificação e a mobilidade dos trabalhadores de museus, a produção e intercâmbio de conhecimentos e promoção de políticas públicas para o setor.

A participação de Cuba no Ibermuseus também significa que instituições e profissionais do país podem participar de convocatórias e atividades do Ibermuseus restritas aos países membros do CI, como as Bolsas Ibermuseus de Capacitação.

Signatária da Declaração da Cidade de Salvador em 2007, marco fundador do Programa Ibermuseus, Cuba já participa da mesa técnica de Formação e Capacitação, além de ter ingressado em 78 instituições no Registro de Museus Ibero-Americanos. Além disso, possui cinco projetos reconhecidos no Prêmio Ibermuseus de Educação desde 2010 e sediou o Curso de Conservação Preventiva e Gestão de Riscos para o Patrimônio Museal Ibero-americano em 2016.

É com grande satisfação que o Programa Ibermuseos recebe seu 12º membro, um país que possui uma história e um patrimônio cultural muito ricos, além de instituições museológicas que são referências na região, como o Museu de Arte Colonial Cubana, o Museu Nacional de Belas Artes e o Museu da Revolução. Bem-vinda Cuba!

Você está utilizando um navegador desatualizado. Por favor atualize seu navegador para visualizar corretamente este site.