Atualizado em 14 de novembro de 2019

Autor

Gustavo Marcondes

Ação

Educação

Conheça os oito projetos selecionados no 10º Prêmio Ibermuseus de Educação

Banner_Premio_Ibermuseos_Educacion_2

Há 10 anos, começamos a aventura de recompensar, reconhecer e promover as iniciativas ibero-americanas mais inovadoras no campo da educação em museus. Hoje temos o prazer de anunciar os resultados da 10ª edição do Prêmio Ibermuseus de Educação. Conheça os projetos vencedores!

Oito projetos da Argentina, Brasil, Colômbia, Chile, Equador e Portugal são os vencedores das duas categorias, selecionados pela Comissão Especial de Avaliação formada por Cecilia Bertolini, da Direção Nacional de Cultura do Ministério da Educação e Cultura do Uruguai; Fátima Roque, da Direção Geral do Património Cultural de Portugal; e Alan Trampe, Subdiretor Nacional de Museus do Chile e presidente do Conselho Intergovernamental do Programa Ibermuseus.

As propostas concentram-se na valorização da identidade comunitária, na inclusão e coesão social, na sustentabilidade social e na igualdade de gênero, todas elas com o profundo desejo de promover a apropriação e a valorização do patrimônio e da memória social.

Na Categoria I, o primeiro prêmio reconhece o Museu Quilombola da Picada, do Centro de Documentação e Comunicação Popular (Brasil), um projeto de memória coletiva na pequena cidade de Ipanguaçu, Rio Grande do Norte.

O Museu Quilombola da Picada desenvolve um programa educacional e cultural com os líderes da Comunidade Quilombola Agrovila Picada, estudantes e professores das escolas públicas locais, com o objetivo de permitir que os atores locais se apropriem dos conhecimentos e técnicas da museologia social que permitem a implementação e operação do museu como estratégia para a valorização da memória local, fortalecimento da organização comunitária e protagonismo de setores historicamente marginalizados.

O segundo colocado é o Museu Fora de Portas: O Museu vai visitar as IPSS (Instituições Privadas de Solidariedade Social), do Museu Municipal de Sesimbra (Portugal). O objetivo é levar as questões abordadas pelos seis núcleos que compõem o Museu – natural, científico, arqueológico, etnográfico, histórico e cultural – a pessoas com limitações físicas, mentais e necessidades especiais, quebrando barreiras sociais, idade e intelectuais.

O terceiro prêmio é concedido ao projeto Sala Experiências do Olhar – Espaço Inclusivo de Experimentação Sensorial, do Museu do Ingá (Brasil), um espaço contínuo de experimentação sensorial, destinado principalmente a pessoas com perda parcial e total da visão. O objetivo é ampliar e democratizar o acesso à coleção, convidando os visitantes a experimentar as diversas formas de interação com as obras.

Os vencedores da Categoria II, projetos a serem implementados a partir de 2020 graças ao prêmio de US$ 10.000 que agora recebem do Ibermuseus, são:

Noventa Chepitos, la sala Lumiére de Caliwood y los patrimonios de Toro da Fundación Caliwood Museo del Cine Museo de la Cinematografía Caliwood (Colombia), é um projeto que busca formar novecentas crianças na investigação da riqueza patrimonial, identidade e memória social e artística do município de Toro.

Cabildo Emergente. La itinerancia como acceso, do Museo Histórico Nacional del Cabildo de Buenos Aires y de la Revolución de Mayo (Argentina), pretende gerar uma ponte por meio de mostras itinerantes em espaços não convencionais para o público que não visita o museu e co-criar uma exposição coletiva ao lado do público, com uma abordagem para aqueles que têm limitações de acesso ao espaço do museu por diferentes razões.

Mulheres e arte: a trajetória do recriar, do Museu dos Capuchinhos do Rio Grande do Sul (Brasil), tem o objetivo de articular ações educativas colaborativas entre o museu e as mulheres que trabalham em uma associação de catadores na cidade de Caxias do Sul, buscando destacar sua identidade, seu potencial e oferecer possibilidades alternativas de renda a esse grupo.

Huerta Mistraliana: Programa Educativo de Ecología Emocional para Mujeres Jefas de Hogar de la Comuna de Vicuña, do Museo Gabriela Mistral de Vicuña (Chile), é um programa de educação sustentável que visa empoderar social, econômica e culturalmente as mulheres nesta comunidade, com base em uma abordagem sensível para cuidar de plantas e hortas comunitárias.

MuNa F(x): escuela de mediación colectiva, do Museo Nacional del Ecuador, pretende construir e acompanhar o desenvolvimento de roteiro educativo-colaborativo do MuNa, a cargo de grupos e comunidades heterogêneos que têm pouca voz na museologia tradicional para o desenvolvimento de propostas educacionais que reflitam seus interesses

Esses oito projetos atingirão diretamente mais de 8.000 pessoas e indiretamente quase 200.000, entre crianças e jovens, comunidades tradicionais e indígenas, idosos, pessoas com deficiência e grupos historicamente excluídos, como comunidades quilombolas e mulheres em situação de risco..

Outros 17 projetos de 11 países, apresentados na Categoria I, recebem menção honrosa e farão parte do Banco de Boas Práticas do Ibermuseus, uma plataforma que reúne mais de 200 projetos reconhecidos em todas as edições do Prêmio e que estão disponíveis para ser uma fonte de inspiração para que mais instituições implementem a educação informal em seus espaços, promovendo o acesso, a participação da comunidade e o ensino através da experimentação em contato com o patrimônio cultural.

Felicitamos os vencedores e agradecemos a participação dos 158 projetos inscritos nesta 10ª edição.

Longa vida ao Prêmio Ibermuseus de Educação! Juntos e conectados, vamos mais longe.

Você está utilizando um navegador desatualizado. Por favor atualize seu navegador para visualizar corretamente este site.